BLOGS DO PORTAL TERRAS POTIGUARES NEWS

quarta-feira, 7 de julho de 2010

MONSEHOR PAULO HERÔNCIO DE MELO


Mons. Paulo Herôncio de Melo, Norte-rio-grandense, nascido em Natal, tem sua data natalícia a 3 de janeiro de 1901. Portanto, neste 2001 festeja-se o Centenário do seu augusto nascimento, fato ocorrido à Rua Voluntário da Pátria. Era filho de Hermógenes Herôncio de Melo e Maria das Mercês Herôncio de Melo, oriundos da tradicional família Emerenciano China. Seu batismo verificou-se na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, antiga Catedral de Natal, no dia 27 de janeiro de 1901, pelo grande venerador sacerdote, Pe. João Maria C. de Brito , Vigário de Natal naquela época. Seus pais, católicos fervorosos, tiveram grande influência em sua formação religiosa e, também, como cidadão. Órfão de pai aos 8 anos de idade e sendo o primogênito da família, teve que assumir as responsabilidade que a vida lhe impuseram muito cedo .Isto, naturalmente, foi decisivo para o fortalecimento e a retidão do seu caráter, contribuindo para transpor os obstáculo que se lhe apresentavam, impelindo-o a desenvolver ações em benefício da humanidade, nas áreas religiosas, educativas e social.
Sentindo grande tendência para a vida sacerdotal ingressou no Primeiro Seminário de Natal, fundado em 1912, por Dom Joaquim de Almeida, extinto pela renuncia do mesmo ao Bispado. Aos 13 anos de idade, matriculou-se no Seminário de São Pedro, fundado por Dom Antônio dos Santos Cabral, em 1919, onde realizou o Curso Preparatório. Em seguida, fez os Cursos de Filosofia e Teologia em Fortaleza e Natal. Ficando aguardando completar a idade requerida para ordenar-se Padre, sendo, na época, Professor de História Natural, no próprio seminário. Recebeu a tonsura em 1919. Ainda neste ano foram-lhe conferidas as primeiras ordens menores, e as segundas em 1920. Esta ordens e a tonsura foram oficiadas pelo Bispo Diocesano, Dom Antônio dos Santos Cabral, na Igreja Catedral de Nossa Senhora da Apresentação. Em 1922, como Seminarista, pregou em Currais Novos pela primeira vez, no sermão da última noite do novenário de Sant’ana, Padroeira da Cidade, sendo o Vigário de então Pe. Brilhante.
Recebeu o Diaconato a 29 de junho de 1923; Em seguida, a 9 de março de 1924, foi ungido Sacerdote, pela mão do mesmo Dom José Pereira Alves; Sua primeira missa foi celebrada na Catedral a 12 de março do mês ano; Foi vice-diretor do Colégio Santo Antônio; A primeiro de abril de 1924, foi nomeado Vigário Coadjuvante de Mossoró RN passando a Vigário de 1925 a 1926, tendo auxiliado na direção do Ginásio Santa Luzia. Em seguida, foi transferido para a Paróquia de Macau RN, acumulando aí as funções de Vigário e Prefeito, de 1930 a 1933. No ano de 1930, dirigiu, interinamente "O Diário de Natal", jornal católico que precedeu "A Ordem".
Seu primeiros contatos com Currais Novos RN, deu-se em 1929, quando percorria o Estado em campanha financeira em beneficiodo jornal católico "A Ordem", fazendo aqui uma conferencia, sendo recebido pelo Pe. Ulisses Maranhão o Vigário da época. Na ocasião foi feito contatos com Vivaldo Pereira de Araújo e Aproniano Pereira de Araújo. Em 1930 foi nomeado reitor do seminário São Pedro, em Natal. De 1933 a 1937 exerceu o Vicariato em São José de Mibibu RN, tendo realizado aí, em 1936, o Primeiro Congresso Eucarístico no RN. Sendo agraciado com o Título Honorífico de Cônego do Cabido da Catedral de Aracaju, pelo sucesso obtido. A 3 julho de 1937 foi enviado a Currais Novos por Dom Marculino Dantas, Bispo de Natal, tomando posse no dia seguinte, a fim de realizar o segundo Congresso Eucarístico Paroquial. O referido congresso foi realizado em 27 a31 de outubrode 1937.
A 4 de julho de 1962, A Paróquia de Currais Novos teve a felicidade de comemorar o Jubileu de Prata da chegada do seu grande benfeitor à nossa terra. Para as comemorações foi organizado o Congresso Eucarístico Mariano no período de 24 a 28 de outubro de 1962, uma promoção do Mons. Paulo Herôncio de Melo. Em 1938 Era iniciada a construção da Casa de Nossa Senhora, concluída em 1943, com ajuda da LBA, nesse mesmo ano foi colocada a pedra fundamental da Vila de São Vicente, casas para atender os pobres, com um Ambulatório Pe. João Maria e Casa de São João, refeitório da Escola de Nossa Senhora. Em 28 de fevereiro - Escola de Nossa Senhora, tendo como finalidade a reeducarão de menores, à Assistência Religiosa, Intelectual e profissional as crianças pobres, tendo como anexo o Centro Regional de Escoteiros, oriundo da casa de Nossa Senhora. Em 18 de agosto - Hospital Pe. João Maria, em precárias condições, passando a funcionar nas casas de São Vicente. A 28 de fevereiro do mesmo ano, foi criada, em dependências do referido Hospital, a secção da Maternidade "Ananília Regina". A 15 de agosto de 1948 a Maternidade passou a funcionar em prédio próprio, dia em recebeu a primeira criança ali nascida. Inicio de 1944 - Instituto "Jesus Menino", Educandário de Nível Secundário. Sendo sua primeira Diretora, a Senhorita Altiva Pereira, até 22 de fevereiro de 1947.
A Direção do Estabelecimento de Ensino mudou com a vinda das Irmãs do Amor Divino, que atendendo ao convite de Mons. Paulo Herôncio de Melo, aqui se instalaram na época. Em 1959 - Edificou o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, nele instalando, a 13 de maio, o Centro Social Nossa Senhora de Fátima, no bairro "Paizinho Maria". No Ano de 1950, visitou Roma, assistiu à canonização de Santa Maria Goretti. Este fato foi fundamental para que Mons. Paulo Herôncio de Melo erigisse o primeiro templo consagrado da santinha, na América Latina. Sua inauguração verificou-se a 6 de julho de 1952, dia comemorativo aos 50 anos de sua morte. Na mesma data fundou a Escola-Creche de "Santa Maria Goretti", com clubes de Mães e de jovens, em anexos.
Mons. Paulo Herôncio de Melo junto ao Vigário Mons. Antônio Barros promoveram um Congresso Eucarístico em Canguaretama RN, em 1945. Que tinha como finalidade celebrar o tri-centenário em memória ao heróico martírio do Pe. André de Soveral, Pe. Ferro, Matias Moreira e de mais cristãos, sacrificados em Uruaçu e Cunhaú, narrado em seu livro "Os Holandeses no Rio Grande de Norte", Publicado em 1937. A lem desse livro publicou, em 1939, "Seguindo o Mestre", livro de meditação de cunho religioso.
Mons. Paulo Herôncio de Melo foi Vigário de Currais Novos RN durante 26 anos. Faleceu a primeiro de setembro de 1963, sepultado no dia seguinte aos pés do altar de Sant’ana, padroeira da nossa cidade. Ao falecer, completara 62 anos de idade e 39 de ordenação sacerdotal.
Título Honorífero de Prelado Doméstico e Protonotário Apostólico; Título Honorário do Cabido da Cathedral de Aracaju; Título Honorífero de Mons. Camereiro de Honra; Presidente do Tiro de Guerra 315 e Fundador da União dos Moços Católicos, em Macau; Presidente da Cooperativa Banco Rural de Currais Novos Ltda., em agosto de 1953; Primeiro Presidente da LBA e orientador de sua instalação, em Currais Novos, cargo exercido desde 1953, até sua morte; Sócio do Instituto Histórico e Geográfico do RN; Sócio da Academia Potiguar de Letras - Diretor (intinerante) do jornal "O Diário de Natal" e de "A Ordem", ambos jornais católicos.

terça-feira, 29 de junho de 2010

PADRE THEODORUS JOHANNES


PADRE THEODORUS JOHANNES s.c.j natural de Helmonmd, Holanda, no dia 28 de novembro de 1934. Ele descobriu, na infância, sua vocação para o sacerdócio católico. Toda a sua formação foi na Holanda. Aos 12 anos, houve o primeiro contato com dogmas e influências filosóficas da cidade de Bergen op Zoon, onde estudou quatro anos. Fez o noviciado durante um ano na cidade de Asten, e começou a estudar Filosofia em Liesbosh, anos depois.
Estudou Teologia em Nijmegen, sendo ordenado padre em 1960. Começava aí sua vida sacerdotal. Seguiu para Amsterdã, capital holandesa, onde passou um ano atuando como uma espécie de estagiário. Voltou para o seminário de sua cidade natal, agora como professor de Francês, Latim e Religião.
Também foi nomeado prefeito de Disciplina. Exerceu o cargo até 1964, quando foi designado como padre auxiliar da Paróquia de Rips, cidade de 1.500 habitantes na época. Foi transferido em seguida para a Paróquia de Boekel. Lá, permaneceu até 1976. Um ano antes veio visitar um irmão no Brasil. A viagem mudou sua vida. Apaixonou-se pelo País.
Naquele mesmo ano, em conversa com o então vigário de Campo Grande, seu conterrâneo Padre Pedro Nees (3/2/1929), demonstrou interesse em exercer o ministério sacerdotal em terras brasileiras. Pediu-lhe que, tão logo surgisse uma vaga na região, lhe comunicasse. Voltou para a Holanda e, em junho de 1977, chegou ao Brasil, Recife-PE foi a cidade escolhida para a sua adaptação ao clima e ao idioma. Permaneceu lá quatro meses.
Foi transferido para Fortaleza-CE, onde morou de 1977 a 1983, ano em que foi transferido para Apodi. Padre Theodoro tomou posse na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição e São João Batista, em Apodo, no dia 22 de agosto de 1983, substituindo o Padre Cornélio Overgaag, iniciando desde logo um processo de transformação do catolicismo na cidade, desenvolvendo uma série de trabalhos no município.
Com auxílio de amigos e conventos da Holanda, construiu seis capelas – duas na cidade – São José, no bairro do IPE e Nossa Senhora de Fátima, no bairro Bico Torto. Na zona rural foram erguidas capelas nos seguintes sítios: ESTREITO, em 1/5/1993, Baixa Fechada (8/2/2004), São Francisco (4/10/2003) Assentamento Moacir Lucena; três centros comunitários e três fábricas comunitárias. Quando foi empossado na paróquia de Apodi, a cidade tinha apenas um grupo de jovens. Hoje são mais de cinqüenta. O sacerdote sempre exerceu um importante papel social em Apodi, ajudando a população.
O padre Theodoro um sacerdote holandês apaixonado pelo Nordeste brasileiro, o qual conquistou a região Oeste Potiguar com postura serena e o senso de bondade. Chegou no Brasil no ano de 1977, a partir daí, construiu uma legião de amigos e administradores.
Membro da Academia Apodiense de Letras, cadeira 35 que tem como patrono o PADRE PHILIPE BOUREL, natural de Agripa (Alemanha) falecido na Missão Jesuíta da Aldeia do Lago Pody, no dia 15 de maio de 1709, quando a mesma foi atacada pelos imdigenas Janduís, que apesar de pertencerem ao mesmo grupo taraiiú, eram ferrenhos inimigos daqueles paiacus.

Padre Theodoro esteve à frente da paróquia de Apodi até o dia 27 de junho de 2010

PADRE JONAS MAGNO PINTO


Natural de Apodi, nascido em 29 de agosto de 1918 e faleceu em Recife-PE aos 8 de abril de 1984, com 41 anos de salesiano e 31 anos de sacerdócio. Jonas 12º de 16 irmãos, filho de Miguel Ferreira Pinto e de Joana Magno Pinto, foi batizado na Matriz do Apodi em 16 de setembro de 1918 e 12 de agosto de 1920, com quase dois anos, apresentou-se para a Santa Crisma diante de Antonio dos Santos Cabral.

Desde pequeninho, Jonas demonstrou tendência para o sacerdócio através da piedade simples e humilde. Com 21 anos, entrou no Aspirantado Salesiano de Jaboatão-PE, em 1939 e em 1942 fez o noviciado, professando na Congregação Salesiana aos 31 de janeiro de 1943.

Cursou Filosofia no Instituto Filosófico Salesiano São João Bosco de Natal-RN, de 1943 a 1945.

O tirocínio prático levou Jonas a conhecer a Amazonas e trabalhar durante os anos de 1946 a 1948 nos Seminários diocesanos de Manaus e Belém.

Segue depois para Jaboatão onde fez a profissão perpétua em 31 de janeiro de 1949. Daí vai para São Paulo, no Instituto Teológico Pio XI -- onde concluiu os estudos seminarísticos com o curso teológico.

Ao chegar Jonas ao Instituto Pio XI houve até um pitoresco. Naquele ano, era esperado na Casa um novo catequista. Jonas era gordo e já certa idade. E, com sua imponência, se sobressaia entre os jovens clérigos. E foi apresentado a todos como o novo padre catequista e assim fora cumprimentando a todos por muitos clérigos que saudavam beijando-lhe as mãos como acontecia naqueles tempos, e Jonas seriamente os aceitava.

Recebeu a Ordenação Sacerdotal no dia 8 de setembro de 1952, das mãos do bispo Dom Paulo Roloim Laureiro.

Depois de Padre, exerceu o Ministério Sacerdotal em várias comunidades.

Foi Coordenador Pastoral (Catequista) de 1953 a 1959 em Baturité-CE.

Desenvolveu com amor o Paroquisto em várias paróquias – 1960 a 1964 na Paróquia de Nazaré – Salvador-Bahia.

Ficando na Paróquia de Nossa Senhora Auxiloadora em 1971 a 1976.

Paróquia de São Gonçalo – Rio Grande do Norte, de 1979 a 1981.

Exerceu o ministério de Diretor por duas vezes. Em 1965 a 1967 no Liceu de confessor e capelão do Colégio Nossa Senhora do Carmo das Irmãs Beneditinas.

Traços marcantes de sua personalidade humana.

Padre Jonas era portador de registro do MEC, como professor de História e Geografia, matérias que ele dominava não só pelos conhecimentos teóricos, mas possuidor de uma memória espetacular. Guardava das pessoas e fatos até os pormenores. Os alunos pendiam de seus lábios. Ele conhecia o Brasil, não só porque teve oportunidade através de seus estudos, mas também pelo interesse de conhecer.

Pesquisador da História da Igreja e do Episcopado conhecia a história de cada um dos bispos, muitas vezes com detalhes.

Fazer amigos era em Padre Jonas um dom natural. Gostava de conversar, tudo queria saber, indagava sempre novas notícias – por onde passava deixava amigos. Amigos que não o abandonaram até os últimos momentos, muitos destes sentiram sua morte como a de um irmão.

Deixou em sua agenda particular, escrita de seu próprio punho, este pensamento: “A felicidade está sempre onde nós a pomos e nunca a pomos onde nós estamos”, mas sempre colocou sua felicidade onde estava, por isso deixou amigos autênticos por onde passou.

Diabético há mais de 25 anos, os últimos anos foram difíceis para ele. No dia 14 de julho de 1983, com dificuldade, participou da concelebração com o Reitor Mor por ocasião do Centenário da presença dos Salesianos no Brasil, no Santuário do Sagrado Coração de Jesus. No dia seguinte, baixou ao Hospital Tri-Centenário de Olinda, dos Franciscanos, e, assistido pelos irmãos hospitaleiros, ficando hospitalizado por mais de um mês. Quando submeteu a uma cirurgia no pé direito que, apesar de toda dedicação do Dr. Luciano, jamais cicatrizou. Voltando para casa, não mais assumiu compromissos apostólicos. Faleceu em Recife-Pe, a 8 de abril de 1984.

D. JAIME VIEIRA ROCHA


Nascido em Tangará-RN, aos 30 de março de 1947. Foi ordenado Sacerdote a 01 de fevereiro de 1975. Quando exercia a função de Reitor do Seminário de São Pedro de Natal, foi eleito Bispo da Diocese de Caicó, aos 29 de novembro de 1995. Sagrado em 06 de janeiro de 1996, tomou posse da Diocese de Caicó aos 04 de fevereiro daquele ano. Governou a Diocese de Caicó no período de 1995 a 2005, 10 anos de pastoreio. Foi nomeado e transferido para a Diocese de Campina Grande-PB, aos 16 de fevereiro de 2005, onde foi empossado no dia 23 de abril deste mesmo ano. Atualmente, além de Bispo de Campina Grande, Foi Vice- presidente do Regional NE2.

Quem sou eu

Minha foto
ESTE É O 9º BLOG DO PORTAL OESTE NEWS, CRIADO PELO STPM DA RR PM JOTA MARIA, DA GLORIOSA E AMADA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

PORTAL OESTE NEWS

PORTAL OESTE NEWS
A SUA ENCICLOPÉDIA DIGITAL, COM 13 BLOGS E 1090 LINKS

Minha lista de blogs